UMA CULTURA CENTENÁRIA

HÁ MUITO O QUE MELHORAR

O cidadão sofre com o peso do governo sobre as suas costas,

trabalha mais da metade do ano (52%) só para pagar impostos,

é refém da indústria das multas de trânsito,

trabalha o tempo todo sob o terrorismo de fiscais e achacadores de todo tipo (Fazenda estadual, prefeitura, trabalho, meio ambiente, IPEM, INMETRO, ANVISA)…

paga pouco aos seus funcionários por conta de um custo altíssimo de encargos,

e para completar, o estado exerce um quase total controle sobre a vida do cidadão. 


Total controle sobre o cidadão

No Brasil se chegou ao extremo de que cada venda feita em um supermercado ou em outro estabelecimento qualquer, primeiro tem que ser transmitida ao servidor da fazenda estadual (SEFAZ) em forma de arquivo eletrônico (xml) para receber aprovação. E sim, a venda pode ser recusada, se por infelicidade do comerciante, um único produto na lista estiver com um código fiscal informado erroneamente, tipo CST=20 quando deveria ser CST=60. Se tudo estiver correto o servidor da SEFAZ aprova a venda e o cupom é encerrado no caixa, mas se algo estiver errado a venda é recusada. Agora imagine num caixa de supermercado em que acabou de se passar pelo aplicativo de vendas um carrinho cheio de produtos (quase 100) e por causa de um único produto que contém um erro de cadastro no que tange à sua classificação fiscal, a venda é recusada e o cupom cancelado. A funcionária do caixa fica com uma tremenda ‘cara de tacho’ e o cliente fica ‘puto da vida’ e então inicia-se a venda toda novamente. Isto é Brasil. Isto é uma estrutura de total controle que foi gradualmente implementada com o objetivo de conduzir o país ao mesmo nível de total controle do cidadão como já existe atualmente em Cuba e na Venezuela, só que por lá as coisas não são tão eficientes e modernas assim. Aqui no Brasil, os criminosos comunistas chegaram ao ‘supra-sumo’ da eficiência, implementando um super computador de nome ‘T-Rex’ e um software de nome ‘Harpia’ que juntos, tem a capacidade de controlar todos os contribuintes do Brasil, Estados Unidos e Alemanha juntos. Uma vez implementada essa estrutura, chegaria um momento em que todo cidadão seria obrigado a informar seu CPF sempre e em cada compra e somente poderia comprar o que o ‘estado’ lhe permitisse. Se em sua lista de compras houvesse um ou mais itens ‘não permitidos’ sua compra seria recusada. Se você acha que estou exagerando, pesquise a respeito da NFC-e e o novo layout 4.0 – Está nos planos para ser implementado em breve, o cruzamento dos dados de cada produto vendido, onde será verificado se o código (GTIN) informado corresponde ao NCM (numeração comum do mercosul) e à classificação fiscal informada. Isso será feito item a item, on-line e em tempo real, a cada venda feita, em cada estabelecimento comercial, e se os dados informados em uma venda não estiverem 100% corretos, a venda é recusada. O software Harpia é capaz de ‘aprender’ o comportamento de cada contribuinte e assim detectar irregularidades. Daí para se chegar ao ponto em que cada CPF só poderá comprar produtos de determinados grupos de NCM, é um passo.  Não se pode chamar isso de livre mercado, nem tampouco de livre comércio, muito menos de liberdade financeira. É simplesmente absurdo que isso esteja acontecendo e que um a um, todos os estados da federação estejam adotando esse tipo de sistema que começou em São Paulo com a Nota Paulista e foi se espalhando pelos demais estados com o nome ligeiramente diferente, Nota Fiscal ao Consumidor eletrônica (NFC-e). É muita interferência do estado na vida do cidadão e do empresário e como isso vem sendo adotado gradualmente, ninguém se dá conta, todos aceitam, e vão se tornando mais e mais ‘escravos do estado’. E para completar a interferência, o estado brasileiro sempre fez isso, coloca o cidadão contra o empresário/comerciante fazendo o cidadão de fiscal para que, com seu próprio celular, possa verificar se a NF emitida em seu nome é legítima. Como são otários! Enquanto o cidadão otário e metido a fiscal pensa que está denunciando o comerciante, o estado está recolhendo mais e mais informações acerca do cidadão, informações essas que já estão sendo cruzadas em tempo real por um super computador de nome ‘T-Rex’ com um sistema de cruzamento de dados chamado ‘Hárpia’, com capacidade de cruzar informações e rastrear cada movimento de cada CPF ou CNPJ.


Livre mercado e estado de direito

Enquanto que no Brasil o estado impõe ao empresário a utilização de softwares fiscais credenciados e homologados e impõe aos programadores (software-houses) regras e normas fiscais quase impossíveis de se alcançar para se obter a certificação ou homologação, no Paraguai é o comerciante ou empresário que escolhe qual software quer utilizar para a gestão de seu negócio, incluso para as vendas em frente de caixa, podendo inclusive o software ser de origem estrangeira. O software não precisa ser homologado nem credenciado, precisa apenas preencher alguns requisitos simples, como por exemplo, permitir auditoria. O sistema tributário é bem simples. Enquanto que no Brasil, o manual do contribuinte pode ter mais de quatrocentas páginas, devido ao imenso e absurdo nível de detalhamento técnico para classificação fiscal das mercadorias comercializadas, no Paraguai o manual do contribuinte tem apenas duas páginas. Isso mesmo, duas páginas. Se você compra ou vende qualquer tipo de produto ou serviço, você deve recolher o IVA (Imposto sobre Valor Agregado), que normalmente é de 10%, embora haja vários produtos cujo IVA é de 5% e há situações em que os produtos ou serviços são isentos. Simples, não? E o comerciante ou empresário deve prestar informações ao fisco mensalmente, bem como quitar os impostos devidos, ao passo que no Brasil a informação sobre cada produto que está sendo vendido tem que ser prestada no momento da venda e on-line, e como se isso não bastasse, todo mês o empresário comerciante deve enviar ao seu contabilista (para cotejo, provavelmente) os arquivos xml que JÁ FORAM VERIFICADOS pelo servidor da SEFAZ, para que sejam calculados os impostos devidos e as quantias a pagar costumam ser assombrosas: Já presenciei pequenos comerciantes, cujo imposto em somente uma de suas instâncias (federal) somava mais do que a folha de pagamento de todos os seus funcionários. É ou não é desanimador? Já aqui, no Paraguai, apesar de todas as facilidades, a informalidade ainda é muito presente e, pasmem, não há por aqui aquela neura do ‘rapa’, que são fiscais da prefeitura acompanhados de agentes truculentos e policiais idem, que vão aos locais onde há grande número de ambulantes e camelôs para confiscarem-lhes as mercadorias. Isso acontece no Brasil, porque no Brasil é proibido trabalhar, seja para mera sobrevivência, seja para crescer na vida, seja para gerar empregos e levar dignidade aos demais. É por isso que existe toda uma estrutura contra quem trabalha: Fiscais da prefeitura que entram no seu estabelecimento lhe ameaçando, fiscais da fazenda estadual, fiscais do trabalho, fiscais do IPEM (Instituto de Pesos e Medidas), estes últimos já entram em seu estabelecimento com um caderno e o entregam ao comerciante e dizem: “coloca R$ 200,00 aí dentro e vamos embora sem olhar nada”, além de INMETRO, ANVISA, vigilância sanitária, bombeiros, e por aí vai. Todos vem ao seu estabelecimento investidos de “otoridade” (achacadores) para lhe tomar dinheiro. Não existe nada mais desanimador. Curiosamente, essa mentalidade de “é proibido trabalhar” ou ainda, essa mentalidade de perseguir acintosamente quem quer trabalhar, crescer e gerar empregos, é muito antiga no Brasil. Se você fizer uma pesquisa honesta, verá que essa mentalidade de exploração e desestímulo ao trabalho existe desde a época do Império, desde antes da independência do Brasil. São mais de 200 anos de uma mentalidade retrógrada, sempre voltada à exploração e ao escravismo, e que ganhou ímpeto quando um bando de criminosos assumiu o controle do país e desde então o vem destruindo sistematicamente, e para seus próprios interesses. Houve várias fases nesse processo que dura até os dias de hoje, e cada fase teve um nome: República Oligarca, República Constitucional, Estado Novo, República Populista,  Ditadura Militar e por fim,  Nova República. Ou seja, os criminosos que tomaram o poder e depuseram o Império, são os mesmo até hoje e o nome que deram à Republica de então não nega o que são: Oligarcas. E depois, você acha que o novo presidente vai dar um jeito nisso? São décadas de uma mentalidade comunista e que vem estruturando o país para o total controle, ou seja para um comunismo total, igual ao da Coreia do Norte, e fico aqui pensando: coitado do Bolsonaro quando começar a mexer nesse vespeiro. Esses criminosos formam uma grande equipe e juntos já destruíram vários países da America do Sul e Central: Cuba, Nicarágua, Venezuela, Equador, Bolívia, Argentina e Brasil e certamente não vão largar o osso assim facilmente. Vão dar ainda muito trabalho e muitas ações terroristas estão por vir porque o que essa gente mais odeia é a liberdade e a prosperidade dos povos. Estude um pouco sobre as verdadeiras causas da guerra do Paraguai (Triple Alianza) e você começará a entender o porque das grandes dificuldades pelas quais o Brasil passa e sempre passou.


Atualização, dia 05 de janeiro de 2019

Antes de escrever este artigo, eu tinha gravado uns áudios para enviar a um amigo no Brasil. Depois e verifiquei que, ouvindo os áudios, eles descrevem certas situações de forma tão clara, tão didática, que resolvi transformá-los em vídeos. Bom, não dá pra transformar áudios em vídeos, mas dá para fazer um slide-show. Foi o que eu fiz. Então, caro leitor, caso queira ouvir o conteúdo dos vídeos abaixo, retire as crianças da sala, porque, quando estou falando, não sou tão educado e comportado como sou quando escrevo e os palavrões se tornam as vírgulas e os pontos das minhas expressões. Assista-os na sequência para não prejudicar o entendimento e divirta-se!





.

 

5 pensamientos en “UMA CULTURA CENTENÁRIA

  1. Pingback: O PARAGUAI QUE QUE VOCÊ NÃO CONHECE | El Guaraní Próspero

  2. esnervista4517

    Bom dia Eduardo.
    Gostaria de saber umas informações ai do Paraguai.
    Tenho ouvido falar que algumas industrias que tinham implantando uma unidade ai no País estão pensando em fechar pela alta do dólar, enfim, o que tenho ouvido falar é que as coisas ai também são difíceis de conseguir, informaram que ai a regulamentos que impedem de abrir alguns negócios se não oferecerem um “agrado”.
    Enfim, resumindo, para alguém que queira começar a investir no paraguaí e começar do zero (não exatamente do zero, mas com pouco recursos) parece ser algo difícil pois parece que há taxas em cima de taxas para começar um negocio, segundo das informações que há n a internet é que apenas para abrir uma empresa ai precisa pagar 1500 dólares, me parece ser uma valor bem alto, enfim, você parece que há algum negocio ai no país qual é a realidade ai para abrir uma empresa?

    Le gusta a 1 persona

    Responder
    1. El Guaraní Próspero Autor de la entrada

      Não, amigo, nada disso. As informações a que você teve acesso são equivocadas. Existem algumas exigências sim, a principal delas é que, para constituir empresa, abrir conta em banco, você deve estar radicado no Paraguai. Radicação temporária já é suficiente e não é assim tão cara. As taxas e demais despesas chegam próximo de R$ 1.500,00 (Reais e não Dólares) mas são taxas da imigração. Constituir empresa aqui é bem mais fácil, rápido e barato que no Brasil e a burocracia é bem menor, assim como as leis que são mais simples e claras, bem definidas.
      Não soube de empresas que estejam querendo fechar, seja pela alta do dólar, seja por outro motivo qualquer. Pelo contrário, empresas brasileiras que estão aqui, estão muito bem, apresentam boa rentabilidade. Talvez você tenha misturado informações, é verdade que, para indústrias, o empresário deve apresentar uma declaração juramentada em cartório de que vai investir no país pelo menos U$80.000,00 (oitenta mil dólares), mas isso é para indústrias e de maior porte, não para pequenos.

      Le gusta a 1 persona

      Responder
      1. esnervista4517

        Muito obrigado pelo seu esclarecimento, espero que possa ver um dia desses suas postagens detalhando mais a sua experiencia e conhecimento em investimentos no nosso país vizinho.

        Le gusta a 1 persona

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s